Exercício físico para largar o cigarro

content image

O cigarro é responsável pela morte de 5 milhões de pessoa por ano no Brasil. Exercitar-se é essencial para quem luta contra o vício

A rotina de exercícios é uma grande aliada na luta contra o vício no tabaco, como afirma o pneumologista Sérgio Prado. As doenças relacionadas ao tabagismo, só no Distrito Federal, mataram cerca de 2 mil pessoas em 2016, segundo a Secretaria de Saúde do DF.
As atividades físicas auxiliam tanto a curto quanto em longo prazo. Além de combater alguns dos primeiros efeitos negativos que o cigarro proporciona, como falta de fôlego, diminuição de resistência e queda no desempenho físico e até sexual, a prática de exercícios estimula as pessoas a largarem de uma vez por todas o cigarro.
O Dr. Sérgio Prado, médico pneumologista da Aliança Instituto de Oncologia, explica que os exercícios físicos liberam hormônios relativos ao bem estar, que incentivam o cessar do tabagismo. “A atividade física estimula o sistema imunológico, melhora a capacidade física e pulmonar do paciente. Acredita-se que pacientes que praticam atividade física tem maior chance de cessar o tabagismo, principalmente entre seis meses e um ano”, aponta o especialista.
Aliado a isso, a sensação de satisfação ao terminar uma atividade física ocasiona mais horas sem a vontade de fumar, conforme complementa o professor Talles Sucesso, da Bodytech Lago Sul. “Ao executar movimentos a sensação fisiológica promovida pela atividade física promove mais tempo sem fumar. E conforme a pessoa vai avaliando a progressão da evolução física, percebe que uma coisa não combina com a outra e psicologicamente tende a diminuir o hábito de fumar, ou até mesmo parar de fumar”, explicou o professor que é ex-fumante.
Com a capacidade física diminuída pelo cigarro, Talles conta que os fumantes possuem dificuldades específicas quando iniciam os exercícios. “A dificuldade pulmonar dos fumantes é agravada pelo cigarro, e acabam cansando com mais facilidade. Então é necessário limitar, inicialmente, a intensidade e o volume do treinamento, para que a pessoa aos poucos melhore a condição física”, destaca. 
O tabagismo é um dos principais fatores de risco para os diversos tipos de câncer, em especial câncer de pulmão. Está relacionado também a doenças pulmonares, como asma bronquite, pneumonia, e doenças cardiovasculares, como arritmia, hipertensão e infarto. Segundo a OMS, o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo.