Hospital Santa Marcelina recebe R$ 25,6 milhões

content image
Documento sendo assinado.

O hospital Santa Marcelina, em Itaquera, vai receber mais R$ 25,6 milhões em 2014. Os recursos fazem parte do programa de auxílio às santas casas e hospitais filantrópicos, do Governo do Estado. “Este trabalho estamos fazendo em todo o Estado. São 70% a mais da tabela do SUS paga pelo Estado para poder atender a população”, disse o governador na assinatura do convênio com a instituição, no início desta semana.
O Hospital Santa Marcelina realiza, por mês, cerca de 30 mil consultas médicas, 290 mil exames de a apoio diagnóstico, 1.300 mil cirurgias, 300 partos e oito transplantes.
Além do novo incentivo financeiro, o hospital vai continuar recebendo, mensalmente, o auxílio de R$ 1,3 milhão por meio do Programa Pró-Santas Casas. No total, a unidade receberá, anualmente, R$ 41,2 milhões do Governo Paulista em recursos extras do tesouro estadual.
Auxílio às santas casas e hospitais filantrópicos
A Secretaria da Saúde classificou as instituições em três tipos: os hospitais estruturantes, que são aqueles de referência em atendimentos complexos, como cirurgias cardiovasculares e torácica, hemodiálise e neurocirurgias; os hospitais estratégicos, de médio porte, responsáveis pela média complexidade; e os hospitais de apoio, que são os de pequeno porte. O Santa Marcelina é um dos 11 hospitais estruturantes dentro da reorganização da saúde do Estado.
As santas casas e hospitais filantrópicos respondem por metade dos atendimentos realizados aos pacientes do SUS em todo o Estado.
Pronto-socorro
O governador Geraldo Alckmin também visitou as obras do pronto-socorro do Hospital Santa Marcelina, que já recebeu o investimento de R$ 7 milhões do Governo do Estado. “O Santa Marcelina será referência para os jogos da Copa do Mundo, já que a abertura da Copa será aqui em Itaquera. Em abril, fica pronto o novo pronto-socorro, e nós teremos aqui um belíssimo pronto-socorro para atender quem precisa, atender a população e também como referência para a abertura da Copa”, explicou Alckmin.