Escola sem lousa e carteira

content image

A escola Estadual Ruy de Melo, na Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo, tem sala de aula sem lousa instalada. O estado de conservação da escola é precário. A unidade também tem paredes descascadas e o portão pichado.
O Secretário de Educação, Herman Voorwald, afirmou que as escolas são alvo de vandalismo da parte dos próprios estudantes e pede para que os pais ajudem a orientar as estudantes a conservar o patrimônio. 
No dia 27 de janeiro, os professores chegaram a juntar os três anos do Ensino Médio na mesma sala.
Muitas aulas estão sendo improvisadas nesse início de ano letivo. “Como não tinha como para a professora passar nada na lousa. Aí, ela deu duas atividades xerocadas para a gente. Os outros professores não conseguiram dar aula, porque não tinham como escrever”, descreveu uma aluna.
O secretário afirmou que cada escola deve passar por uma reforma a cada três anos. “Por ano, são 1,5 mil escolas que estão em reforma. Há toda uma estrutura de engenharia que não está na Secretaria que cuida das obras novas nas escolas.”
Segundo Voorwald, anualmente, diretores recebem uma verba para investirem em infraestrutura. “Com esse recurso, ele faz via APM (Associação de Pais e Mestre) as pequenas adaptações na escola”. A Secretaria tem a missão de viabilizar o recurso.