Transporte parado gera caos na cidade

content image
A liminar também impediu que efetuassem a “liberação de catracas”. A multa diária para o descumprimento é de R$ 100 mil

Ferroviários decidiram por meio de assembleias, no dia 2 de junho que iriam entrar em greve na véspera do feriado emendado, em quatro das seis linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).Sindicato dos Trabalhadores da Central do Brasil também paralisou as atividades das linhas 11-Coral e 12-Safira

O motivo da greve dos transportes ferroviários ocorrida nesta quarta-feira (3) é que os ferroviários reivindicam 7,89% de reajuste salarial mais 10% de aumento real. A próxima reunião no TRT está marcada para o dia 11, às 13h. O desembargador Wilson Fernandes, vice-presidente judicial do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), determinou que deveria ser mantido um contingente de 90% do efetivo de maquinistas e 70% dos demais profissionais entre 4 e 10h e entre 16 e 21h. Nos demais horários, 60% dos funcionários trabalharam.