Contrato da Odebrecht em Itaquera chega a quase R$1 bilhão

content image
Marcelo Odebrecht faz parte da terceira geração de donos da empreiteira que leva seu sobrenome. Mesmo preso por meio da investigação da operação Lava-Jato, Corinthians segue como grande parceiro do empresário. Ao todo, o clube paulista vai ter de pagar cerca de R$ 1,2 bilhão pela construção da casa própria

Sexto contrato foi firmado entre os parceiros desde o início das obras no Itaquerão

Ainda no ano passado, após a Copa do Mundo, a expectativa era de que a construtora acabasse as últimas partes do trabalho no mês de abril, o que não aconteceu.
De acordo com advogados, este sexto aditivo é uma forma de dizer que as partes estão felizes uma com a outra e não vislumbram a possibilidade de buscar a Justiça, pelo menos até o  presente momento.
O novo contrato, porém, deve contar como o dia 31 de julho como o dia final. Mas, a informação repassada no início desta semana para pessoas de dentro do clube é de que as obras terminarão em agosto. 
Além de deixarem um aspecto ruim na arena, de incompleta, os atrasos atrapalham a vida comercial do Corinthians e a rentabilidade do estádio. Alguns camarotes não podem ser vendidos devido a uma situação atual em que os setores se encontram. 
A Odebrecht e diretoria do Parque São Jorge dizem que não haverá aumento de custos no novo aditivo e que o valor fechado no quinto contrato será mantido, quando passou para R$ 985 milhões - o preço inicial era de R$ 820 milhões.