Escola em Itaquera é depredada após desocupação de alunos

content image

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo divulgou imagens de atos de vandalismo que teriam acontecido por parte de ocupantes da escola estadual Presidente Salvador Allende Gossens, em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo

A reorganização escolar proposta pelo Governo do Estado de São Paulo não foi bem compreendida pela maioria das pessoas. A prova disso é que mesmo com benefícios, em nenhum momento ouve discussão saudável sobre quais seriam as mudanças.
Reorganizar o estudo significa aproveitar espaços vazios e desafogar espaços superlotados. As mudanças visavam abrir mais espaços para creches em espaços vazios entre 6º e 7º anos do Ensino Fundamental II. Contudo, a negativa da população foi imediata. A Secretaria da Educação, por sua vez, não dialogou e percebeu que seria inviável analisar situação de escola por escola, pois o tempo é curto para decisões que possam exigir reformas estruturais.
Porém, ainda segundo a nota, a polícia foi acionada devido aos atos que atingiram o laboratório de informática, salas da direção e coordenação, cozinha, banheiros e cantina. Portões da unidade também teriam sido danificados. A secretaria disse, por meio de nota, que “repudia os atos de vandalismo” e que a unidade estava ocupada por manifestantes há um mês. Ela teria sido liberada no final da tarde do último sábado (12).
Os prejuízos ainda não foram calculados e que, ao longo dos próximos dias, equipes vão trabalhar no local para o “restabelecimento da rotina escolar”. Por fim, a pasta lamentou que “o direito à manifestação termine com a depredação de um patrimônio público e educacional”.