Dirceu consegue valor para pagar multa

content image
Dirceu ultrapassa a meta necessária para escapar de condenação do Mensalão

Ex-ministro da Casa Civil, preso desde 15 de novembro, foi condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha. Apoiadores anunciaram arrecadação de R$ 1.083.694,38, quantia suficiente para cobrir a punição e os impostos

O grupo que administra o site “Apoio Zé Dirceu” anunciou ter atingido o valor suficiente para pagar a multa do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu pela condenação no processo do mensalão. De acordo com os organizadores, foi arrecadado R$ 1.083.694,38, quantia necessária para pagar a pena pecuniária do crime de corrupção ativa e os impostos incidentes sobre as doações, resultado da colaboração de 3.972 doadores espalhados pelas 27 unidades da federação. Para chegar ao pouco mais de R$ 1 milhão soma-se os R$ 143 mil doados pela campanha do ex-tesoureiro nacional do PT Delúbio Soares e os outros R$ 20 mil excedentes da “vaquinha” do ex-deputado José Genoino. 
Como se deu o processo:
Dirceu foi condenado a dez anos e dez meses de prisão e multa de R$ 676 mil pela sua participação no mensalão. Após o trânsito em julgado do processo e a decretação das prisões pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o valor da pena pecuniária foi atualizado para R$ 971.128,92. Preso desde 15 de novembro, o petista pode ver a pena ser reduzida para sete anos e 11 meses caso o STF aceite o embargo infringente apresentado pela sua defesa na condenação por quadrilha.

Posse do presidente do TRE- SP

Tomaram posse no dia 14 de fevereiro, em sessão solene no plenário do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, o presidente da Corte, os desembargadores Antônio Carlos Mathias Coltro e o vice-presidente e corregedor, Mário Devienne Ferraz. Eleitos por aclamação em dezembro de 2013, exercerão mandatos de dois anos.
Em seu discurso, Mathias Coltro citou o magistrado Mario Guimarães, primeiro presidente do TRE/SP, que mostrou a necessidade desse ramo do Judiciário em ser rápido, seguro e atento. Para o desembargador, a jurisprudência produzida pela Justiça Eleitoral tem sempre prestigiado a ética, a moral, a probidade e a neutralidade. Coltro também lembrou o êxito e admiração geral, dentro e fora do Brasil da urna eletrônica.
O corregedor e vice-presidente, que já  faz visitas aos cartórios eleitorais desde meados de janeiro, afirmou estar consciente  da grande responsabilidade. “Ano de eleição exigirá trabalho intenso e muita dedicação para a boa ordem e celeridade dos serviços eleitorais. Caberá à Corregedoria buscar o cumprimento de todas as regras de propaganda eleitoral em homenagem à democracia”, finalizou Devienne Ferraz.
O evento foi prestigiado por diversas autoridades, entre elas o vice-presidente da República, Michel Temer, o governador Geraldo Alckmin, o vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, o vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro José Antônio Dias Toffoli e o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Renato Nalini, desembargadora Iracema Martins do Vale, presidente do TRE do Ceará. Também compareceram os presidentes das instituições: OAB-SP - Marcos da Costa, IASP - José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro, AASP - Sérgio Rosenthal e FIESP - Paulo Skaf, entre outros.