Desinformações sobre mobilidade

O começo de 2018 está
sendo confuso para os mais
de 60 mil motoristas de
aplicativos e mais de 1
milhão de usuários deste
modal. Diversas notícias
espalhadas pela mídia,
outras tantas pelos aplicativos.
A prefeitura regulamenta
o transporte por
aplicativos, exigindo um
curso de 16 horas, que
pode até ser oferecido pelos
aplicativos, que por usa vez,
ainda não se manifestaram
oficialmente. O credenciamento
dos motoristas será
obrigatório nos próximos
15 dias, podendo gerar multa
e cassação da CNH para
quem não cumprir as metas,
do curso, passando pela
vistoria veicular e adesivagem
dos automóveis. Porém,
existem diversas brechas,
começando pela fiscalização,
que deverá ser feita pelos 94
agentes, isso mesmo, apenas
94 agentes que fiscalizam
também os taxistas. Outra
dúvida é como monitorar este
serviço, pois há muitos motoristas
fechando corridas com
os clientes por fora do aplicativo.
Além disso, a fiscalização
só poderá ocorrer, com
eficiência, após a identificação
dos automóveis. Circular
com carros emplacados fora
de São Paulo também estará
proibido, porém, as locadoras
estão com uma liminar
na justiça, defendendo o seu
negócio. Sobre as vestimentas
dos motoristas também
há exigências, mas nada é
falado sobre as vestimentas
das mulheres motoristas. A
verdade é que é necessário
regulamentar esta modalidade
de transporte, que
não se define como público,
oferece remuneração aos
trabalhadores, mas que
ainda não está bem compreendida
nos termos da lei
e o Brasil vai se mostrando
uma lástima no campo do
amadurecimento de ideias e
liberdade tecnológica.

*Prefeitura revisará algumas clicovias
*Brasil... salve-se quem puder
*Aulas de Educação Moral e Cívica precisam voltar ao Ensino Fundamental
*Expectativa com Bruno Covas